Protecção Civil apetrecha distritos com equipamentos de coordenação de meios aéreos

A Autoridade Nacional de Protecção Civil deu Segunda-feira início à distribuição de novos equipamentos de comunicações pelos Comandos Distritais de Operações de Socorro e de ‘kits’ de apoio à intervenção das Equipas de Reconhecimento e Avaliação de Situação.
Segundo um comunicado da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) vão ser distribuídos 54 Equipamentos de Coordenação de Operações Aéreas (COPAR), três por distrito, que vão equipar os Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS), e 18 ‘kits’ de apoio à intervenção das Equipas de Reconhecimento e Avaliação de Situação.
Os ‘kits’ de comunicações para a função de COPAR, com capacidade de coordenação da intervenção de meios aéreos pesados, são constituídos por um rádio portátil SIRESP, um rádio portátil de banda alta VHF, um rádio portátil de banda aeronáutica e uma mala de transporte estanque.
Os 18 ‘kits’ de apoio à intervenção das Equipas de Reconhecimento e Avaliação de Situação (ERAS), um por distrito, são constituídos por um rádio portátil SIRESP, um rádio portátil de banda alta, um equipamento GPS e uma mala de transporte estanque.
«Com os ‘kits’ COPAR pretende-se que os CDOS, em ligação com os elementos de comando dos corpos de bombeiros e de acordo com a complexidade e dimensão do teatro de operações, possam posicionar em três locais diferentes do seu distrito estes equipamentos, que integram várias valências, nomeadamente a capacidade de utilização de banda aeronáutica e a georreferenciação, permitindo uma cobertura mais completa do distrito, nomeadamente na capacidade de coordenação da intervenção de meios aéreos pesados», refere a ANPC na nota enviada à agência Lusa.
Refere ainda que «reforçar a capacidade de gestão, comando e controlo nas operações de combate aos incêndios é absolutamente crucial, ao permitir aproximar todos os seus intervenientes, todos os operacionais e entidades envolvidas (…), agilizando os meios e recursos disponíveis a cada momento e onde cada segundo conta para o sucesso da operação».
Aquela entidade justifica o reforço de equipamentos operacionais ao dispor nos CDOS para proporcionar aos diversos intervenientes na actividade operacional «as ferramentas adequadas que promovam uma melhoria da eficiência e eficácia da sua actividade, combinando o reforço de equipamentos com a formação e o treino conjunto».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close