PS ainda não escolheu quem será o adversário de Amaro nas próximas autárquicas

SONY DSC

Na capital do distrito, Álvaro Amaro já assumiu publicamente que se recandidatava a mais um mandato como presidente da Câmara da Guarda, embora não tenha dito se se repetirá a coligação PSD/CDS, como aconteceu em 2013. Quanto ao PS, a estrutura local da Guarda ainda não escolheu o candidato, devendo o processo estar concluído durante este mês, disse esta Segunda-feira ao TB o líder da concelhia socialista, João Pedro Borges. Joaquim Carreira, actual vereador na autarquia, é o nome apontado como provável para liderar a lista socialista.
No restante distrito, os actuais detentores do poder em Gouveia, Manteigas, Pinhel, Sabugal e Vila Nova de Foz Côa vão recandidatar-se. Tentar reconquistar as presidências de Aguiar da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Meda e Trancoso, são os grandes desafios que se colocam ao partido.
Em Aguiar da Beira, o PSD volta, a exemplo do que aconteceu em 2013, a apostar em Fernando Pires para a presidência da Câmara Municipal. O PS e o CDS deverão novamente apoiar o actual autarca Joaquim Bonifácio, que, tal como há quatro anos, apresentará uma candi-datura independente.
Almeida será um dos concelhos onde haverá mudança, pelo menos de titular da cadeira maior da autarquia. É que o actual presidente da Câmara, António Baptista Ribeiro, eleito pelo PSD/CDS, atingiu o terceiro manda-to, não podendo por isso, recandidatar-se. PS e PSD ainda não apresentaram os respectivos candidatos.
Em Celorico da Beira também haverá mudança de protagonista. O PS avança com José Albano, ex-lider da Federação, dado que o actual presidente da autarquia, José Monteiro, está a cumprir o terceiro mandato conse-cutivo, não podendo recan-didatar-se. Há três anos, o PSD, que tinha perdido a presidência da autarquia em 1993, coligou-se com o CDS-PP e apostaram no inde-pendente Manuel Portugal, professor. Desta vez a aposta incidirá em Carlos Ascensão, professor na Escola Secun-dária local e muito ligado ao associativismo.
Em Figueira de Castelo Rodrigo, há três anos, o PS apostou em Paulo Langrouva, que vai recandidatar-se, e reconquistou a autarquia ao PSD, que recandidatou António Edmundo. Carlos Condesso, actual líder concelhio e chefe de gabinete do autarca da Guarda, Álvaro Amaro, deverá liderar a lista do PSD.
Há três anos, a presidência da autarquia de Fornos de Algodres passou para as mãos do PS. O socialista Manuel Fonseca derrotou Carlos Felício da Costa (PSD), que se candidatava pela primeira vez, dado que o então presidente da autarquia, José Miranda, não podia recan-didatar-se, por força da lei de limitação de mandatos. Por agora, desconhece-se quem será o principal adversário do socialista Manuel Fonseca.
Em Gouveia, Luís Tadeu, que há três anos sucedeu na cadeira maior da autarquia a Álvaro Amaro (viria a candidatar-se à presidência do município da Guarda e a derrubar o bastião socialista), avança novamente. Os socialistas apostam em João Paula Agra, actual líder da concelhia e ex-coordenador da ADRUSE, que já tinha concorrido em 2005, sem ter conseguido derrotar o social-democrata Álvaro Amaro.
No caso de Manteigas, o social-democrata José Ma-nuel Biscaia poderá ter de enfrentar novamente o socialista Esmeraldo Car-valhinho (que foi presidente daquela autarquia entre 2009 e 2013).
No caso da autarquia da Meda, que é presidida pelo socialista Anselmo Sousa (que se recandidata), o PSD poderá novamente apostar em Paulo Amaral. O CDS também é um forte concorrente nestas eleições, devendo a aposta recair em César Figueiredo, que esteve perto da vitória em 2013. O líder distrital do CDS, Henrique Monteiro, já assumiu que o seu partido aspira ganhar a presidência da Câmara da Meda, onde «é a segunda força mais votada», para que o partido possa «retomar a tradição autár-quica» que teve no passado.
Pinhel será um dos concelhos em que o PSD não terá dificuldades em manter a presidência. Rui Ventura, que em 2013 sucedeu no cargo a António Ruas, que não se recandidatou por ter atingido três mandatos, conseguiu vencer as eleições. O PS ainda não anunciou o seu candidato.
No Sabugal, o social-democrata António Robalo deverá avançar para o seu terceiro e último mandato. António Dionísio, de 58 anos, vai ser o candidato do PS. O socialista foi chefe da Repartição de Finanças local «durante largos anos» e é actualmente o provedor da Santa Casa da Misericórdia local.
Em Seia, desconhece-se se haverá novamente uma aposta numa coligação para tentar derrotar o socialista Carlos Filipe Camelo. Em 2013, a coligação PSD/CDS candidatou Albano Figuei-redo. Os militantes do PSD local terão definido, na noite da passada Sexta-feira, apenas o “perfil do candi-dato” e “estratégia política” para as eleições autárquicas deste ano.
Em Trancoso, o PSD ainda não escolheu o candidato para tentar reconquistar a presidência, que há três anos passou para as mãos do socialista Amílcar Salvador. Em Vila Nova de Foz Côa, o social-democrata Gustavo Duarte recandidata-se ao seu terceiro e último mandato. Os socialistas optaram por Jorge Marçal Liça, de 60 anos, licenciado em Engenharia Electrotécnica e tem uma pós-graduação em Economia Política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close