PSD da Guarda defende programa municipal de apoio directo à economia local

O presidente da Comissão Política Concelhia da Guarda do PSD, Sérgio Costa, defende a aplicação de um programa de apoio directo à economia local e à manutenção de postos de trabalho, em complemento às medidas do Governo.

O líder social-democrata disse, Segunda-feira em conferência por videoconferência, que o Município da Guarda «deve olhar para os bons exemplos» e «legislar já, no sentido de promover a injecção de um valor nunca inferior a três milhões de euros», para ajudar directamente as empresas e os empresários em nome individual, e permitir a manutenção dos postos de trabalho.

Para mitigar os efeitos económicos da crise causada pela pandemia, o social-democrata, que também é vereador sem pelouros no executivo municipal liderado por Carlos Chaves Monteiro (PSD), propõe «medidas de apoio directo à economia e às empresas locais, com injecção directa de capital», como acontece em outros concelhos.

O dirigente considera «primordial» a aprovação de um plano, «definindo como destinatários empresas e empresários em nome individual, que tenham sofrido uma redução do volume de facturação decorrente da situação pandémica que actualmente se verifica» e que respeitem condições a definir.

O programa proposto, acrescentou, consubstancia-se «num apoio financeiro não reembolsável, correspondente a um montante a definir, a atribuir por cada trabalhador que conste na declaração de remuneração mensal da empresa referente ao mês de Dezembro de 2020 e consagrando também, independentemente do número de postos de trabalho, um valor máximo de apoio a atribuir a cada empresa».

Para o presidente da concelhia da Guarda do PSD «é fundamental tomar com a máxima urgência todas as iniciativas para ajudar os guardenses», por isso, a proposta será enviada ao executivo municipal.

Sérgio Costa também defende medidas como a isenção da taxa da derrama para todas as empresas com domicílio fiscal no concelho, o transporte de refeições dos restaurantes pelas empresas de táxi locais, a criação da iniciativa “Guarda Comércio” (com distribuição de senhas para quem compra no comércio e restauração locais) e a promoção de vendas “online”.

O social-democrata lembra que, por todo o país, os municípios e as freguesias «estão a demonstrar ser um dos principais pilares na resposta às populações durante a pandemia, substituindo muitas vezes o Governo de António Costa que teima em chegar atrasado, querendo apenas correr contra o prejuízo».

«As medidas que o Governo tem vindo a instituir são medidas reduzidas que teimam em não chegar, chegam atrasadas e sempre a quererem lutar contra o prejuízo e é fundamental que as Câmaras Municipais sigam os bons exemplos, possam legislar no sentido de apoiar os seus cidadãos», afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close