Reboliço com as tomadas de posse da distrital e da concelhia do PSD da Guarda

Os dirigentes da distrital e da concelhia da Guarda do PSD, eleitos a 5 de Março, ainda não tomaram posse. Tem sido um verdadeiro reboliço com o agendamento e posterior cancelamento das cerimónias que deverão contar com a presença de dirigentes nacionais do partido.
A tomada de posse dos novos dirigentes da concelhia da Guarda está agora agendada para o dia 29 de Março, mas já esteve agendada para o dia 12. Inicialmente chegou a ponderar-se a realização de uma cerimónia de tomada de posse conjunta, sem contudo «se ter acordado uma data», como explicou ao TB, Luis Aragão, eleito presidente da concelhia da Guarda. Alguns dias após as eleições, decidiu-se que as tomadas de posse seriam realizadas em sessões distintas e com dirigentes distintos. A concelhia chegou a agendar a sessão para dia 12, mas por «dificuldades de agenda» nomeadamente de Matos Rosa, foi adiada para Terça-feira, dia 29. A sessão irá decorrer no Paço da Cultura pelas 21.30 horas, com a presença de Matos Rosa.
Dois dias depois deverá realizar-se a tomada de posse dos elementos da distrital. A sessão, que irá contar com a presença do líder parlamentar na Assembleia da República, Luis Montenegro, está marcada para a noite de 31 de Março e terá lugar numa unidade hoteleira da Guarda. Carlos Peixoto, que foi reconduzido na liderança da distrital do PSD, admitiu ao TB alguns avanços e recuos no agendamento da tomada de posse justificados pela dificuldade de agenda nomeadamemte de Luis Montenegro. A distrital chegou a informar os militantes que a tomada de posse se iria realizar esta Quarta-feira, dia 16, mas teve de cancelar a sessão. Carlos Peixoto justifica que faz «questão» que Luis Montenegro esteja presente na tomada de posse.
Recorde-se que Carlos Peixoto foi reeleito para a liderança da distrital do PSD sem oposição. Para o próximo mandato, Carlos Peixoto quer «conferir credibilidade» ao partido, «dotá-lo de opinião», «aproximá-lo da sociedade» e transformá-lo «numa incubadora de ideias». «É nossa intenção afirmar o partido internamente mais também projectá-lo externamente». Na concelhia da Guarda, Luis Aragão sucede a Jorge Libânio, que não se recandidatou ao lugar. A nova concelhia tem como vice-presidentes João Bandurra e João Marques. Ricardo Sousa é o secretário e Hugo Fernandes o tesoureiro. A presidência da Mesa da Assembleia está a cargo de Júlio Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close