Rede Expressos suprime actividade de transporte entre Sexta-feira e 3 de Novembro

A Rede Expressos anunciou hoje a supressão de toda a actividade de transporte de passageiros entre as 00:00 de Sexta-feira e as 06:00 de 3 de Novembro, devido à decisão do Governo de limitar a circulação entre concelhos.

«A determinação do Governo de não autorizar a circulação de pessoas entre concelhos, com excepções muito específicas, impede que a Rede Expressos possa realizar a sua operação de uma forma normal», avançou a empresa de transporte público rodoviário, que detém uma frota com autocarros que asseguram a ligação entre as principais cidades e vilas de norte a sul de Portugal continental.

Em comunicado, a Rede Expressos informou que «todos os passageiros que adquiriram antecipadamente os seus bilhetes poderão ser reembolsados ou revalidá-los sem custos», no âmbito do cancelamento de viagens entre as 00:00 de Sexta-feira e as 06:00 de 3 de Novembro.

Face à decisão de suprimir toda a actividade de transporte de passageiros durante o período em que o Governo determinou a limitação de circulação entre diferentes concelhos do território continental, a empresa de transporte público rodoviário prevê normalizar a actividade, em termos de horários e de itinerários, no dia 3 de Novembro.

Criada em 1995, a Rede Nacional de Expressos surgiu com o objectivo de assegurar ligações rápidas entre várias cidades e vilas portuguesas, tendo posteriormente alargado a actividade a Espanha, passando a deter uma cobertura ibérica.

Actualmente, a Rede Expressos opera as marcas Rede Expressos, Renex, Mundial Turismo e Citi Express, com 300 destinos nacionais, inclusive 86 cidades, contando com 352 viaturas de transporte.

Anunciada na passada quinta-feira, após uma reunião do Conselho de Ministros, a decisão do Governo de limitar a circulação entre concelhos do território continental entre os dias 30 de Outubro (sexta-feira) e 03 de Novembro (terça-feira), ou seja, durante o fim de semana correspondente ao Dia de Finados, tem como objectivo «conter a transmissão do vírus e a expansão da doença» covid-19.

«Visa evitar que a circulação de cidadãos para fora do concelho de residência habitual que poderia verificar-se em função do feriado de Todos os Santos e do Dia dos Finados contribua como foco de transmissão da doença», lê-se na resolução do Conselho de Ministros n.º 89-A/2020, acrescentando novas medidas ao decreto que declara a situação de calamidade em todo o território nacional continental devido à pandemia de covid-19.

A pandemia já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.371 pessoas dos 124.432 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close