Reitor pede aos peregrinos de longe que não arrisquem ida ao santuário de Fátima

O reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas, pediu hoje aos peregrinos que vivem mais longe que cumpram a peregrinação de Outubro através dos meios virtuais, para não fazerem uma viagem longa e depois não entrarem no recinto.

“Não corram o risco de vir a Fátima [nestes dias], podendo não conseguir entrar no recinto do santuário. Pedimos que se associem a nós, que façam a peregrinação pelo coração, através dos meios virtuais, que o santuário disponibiliza diariamente”, apelou Carlos Cabecinhas, numa mensagem a propósito da peregrinação que se realiza na segunda e terça-feira.

O plano de contingência estipulou que só cerca de seis mil peregrinos poderão assistir às celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária de Outubro, que assinala a última aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos e é presidida pelo bispo de Setúbal e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, José Ornelas.

As peregrinações de Maio e de Outubro são as que costumam reunir maior número de peregrinos no santuário.

O reitor apelou à compreensão dos peregrinos que não possam estar presentes e pediu aos que se deslocarem à Cova da Iria responsabilidade no cumprimento das normas de segurança da distância física, no uso da máscara e no respeito pelas indicações dos acolhedores.

“No santuário, a preocupação pela saúde dos peregrinos e de quantos aqui trabalham é sempre prioritária e tem de o ser também num momento festivo como este”, frisou Carlos Cabecinhas.

O padre solicitou ainda que, caso os peregrinos já não consigam entrar no santuário, evitem aglomerar-se nas zonas limítrofes.

“Este ano, tudo é diferente, por causa da pandemia que nos atinge. Em maio, fizemos uma peregrinação, pela primeira vez, sem peregrinos e, em Outubro, apesar de já contarmos com a presença de peregrinos, serão ainda muito poucos”, frisou, manifestando a sua “mágoa e tristeza” pelo facto de o santuário não poder acolher todos os peregrinos.

Carlos Cabecinhas convidou aqueles que não vão poder estar em Fátima na segunda e na terça-feira a deslocarem-se ao santuário nos sábados e domingos posteriores.

Nesses dias, poderão “fazer a experiência da procissão das velas, nos sábados, e, ao domingo, no fim da missa, a da procissão do adeus”, afirmou.

Na semana passada, o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, pediu aos peregrinos “fé e responsabilidade cívica” para aceitar as restrições de acesso ao recinto durante as celebrações da próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close