Sabugal é experiência piloto na vacinação de idosos contra a covid-19

Vacinação contra a covid-19 no Sabugal

Com um dia de atraso relativamente ao previsto, começou hoje na ExpoSabugal (antigo edifício da Dache Confecções) a vacinação contra a covid-19 aos idosos daquele concelho raiano que tenham mais de 80 anos e e com mais de 50 anos com patologias associadas. Esta experiência piloto decorre em simultâneo em oito pontos na região Centro de forma a testar o sistema de agendamento automático e a poderem ser feitas as correcções necessárias.

No início desta semana, o director clínico para os Cuidados Primários da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, António Serra, explicou ao TB que serão administradas 192 vacinas a idosos do concelho do Sabugal, tantas quantas o número de doses atribuído à ULS da Guarda para esta operação. Os 162 utentes foram identificados pela plataforma informática e convocados através de mensagem SMS para o telemóvel.

A vacinação no Sabugal vai decorrer no edifício da ExpoSabugal, que tem um espaço amplo.

E a metodologia será aplicada em cada dos outros municípios da área da ULS da Guarda. Em cada concelho e sempre que o centro de saúde «não possa fazer a vacinação dentro das instalações» será chamada a colaboração das autarquias. Na Guarda, o Município disponibilizou o Pavilhão de São Miguel.

A ajuda das autarquias será ainda solicitada para o contacto das pessoas mais isoladas e também para o transporte até ao local de vacinação.

O director clínico sublinha que «na maioria dos concelhos os transportes públicos estão muito ligados ao transporte escolar e pelo facto das escolas estarem encerradas não haverá transportes que sejam adequados» para a vacinação.

Em cada posto de vacinação estará uma equipa composta por um médico e vários enfermeiros, haverá um Desfibrilhador Externo Automático (DEA) e um carro ou saco de emergência. António Serra acrescenta ainda que será pedido apoio aos bombeiros para que possam prestar alguma ajuda caso algum utente faça alguma reacção mais grave.

António Serra diz-se tranquilo relativamente ao processo, evidenciando que confia «plenamente nos serviços» que serão capazes de cumprir o que está definido. A «preocupação» do director clínico para os Cuidados Primários «é a falta de vacinas». António Serra refere que a Unidade de Saúde dos Cuidados Primários do Sabugal assumiu que tem capacidade para vacinar 200 por dia e se viesse essa quantidade de vacinas «era esse número de vacinas a administrar».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close