Surto com 41 infectados em lar do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo

Um surto de covid-19 no lar da freguesia de Escalhão, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, infectou 41 pessoas, entre utentes e funcionários, segundo fonte da autarquia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, Paulo Langrouva, referiu que dois utentes da instituição estão internados no hospital da Guarda e permanecem «estáveis clinicamente».

Entre os utentes do lar de idosos de Escalhão, que foram todos testados ao novo coronavírus, apenas três apresentaram resultado negativo.

Segundo o autarca, «na comunidade [de Escalhão] também há entre oito a dez pessoas [com teste positivo para o SARS-CoV-2, vírus da covid-19] que já estão identificadas».

«No lar de idosos já foi toda a gente testada. E na comunidade, à medida que vamos tendo conhecimento de pessoas com contacto directo [com infectados], vamos encaminhando para o Centro de Saúde», indicou.

O presidente da autarquia referiu que o município, através do Gabinete de Protecção Civil, está a acompanhar o processo e a monitorizar a situação de forma permanente.

Paulo Langrouva disse à Lusa que o município custeou os testes para o novo coronavírus aos sete elementos da Junta de Freguesia de Escalhão e a cerca de 45 pessoas da Fundação Dona Ana Paula, com sede na vila de Figueira de Castelo Rodrigo, que possui as valências de creche e de ATL com mais de 100 crianças.

Uma das 32 funcionárias da Fundação Dona Ana Paula fez um teste positivo ao covid-19, mas a instituição permanece em funcionamento, com o apoio do município.

O concelho de Figueira de Castelo Rodrigo regista (segundo dados de Terça-feira) um total de 76 casos activos e 119 acumulados, tendo a situação sido agravada com o surto que foi identificado na Segunda-feira na Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) de Escalhão.

Em comunicado, a autarquia apela «ao bom senso e à responsabilidade de todos os munícipes para o cumprimento de todas as medidas de prevenção de contágio definidas (etiqueta respiratória, uso obrigatório de máscara, lavagem e desinfecção de mãos, etc.)».

O município refere, ainda, que as pessoas também devem «cumprir com as regras e orientações para o isolamento, se assim for determinado pelas autoridades de saúde».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *