Tribunal da Guarda condena a 16 anos de cadeia uma mulher acusada de ter permitido que a filha se prostituísse

SONY DSC

O Tribunal da Guarda condenou esta tarde a 16 anos de prisão e a dez anos de inibição do poder paternal uma mulher acusada do crime de lenocínio, ao ter permitido que a sua filha, de 11 anos, se prostituísse com um idoso, de 74 anos anos, a troco de dinheiro e de bens, numa localidade de Seia. O homem, sapateiro de profissão, viria a ser condenado a 15 anos de cadeia pelo crime de abuso sexual de menor.
Tanto a mãe como o pedófilo foram detidos o ano passado pela Polícia Judiciária da Guarda, depois da criança ter denunciado os alegados abusos na instituição onde foi acolhida após ter sido retirada aos pais.
Este é o segundo caso do género que teve desfecho no espaço de poucos dias. Na passada semana, o Tribunal da Guarda viria a a condenar Fátima R., de 45 anos, e António E., de 58 anos, ambos naturais e residentes no concelho de Celorico da Beira, a 13 e 11 anos, respectivamente, pela prática, em co-autoria, dos crimes de abuso sexual e de criança agravado e lenocínio. Como o TB refere na edição desta semana, além das penas de prisão, os dois arguidos foram ainda condenados ao pagamento de 15 mil euros à menor por danos morais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close