Tribunal do Trabalho considera ilegal despedimento de Elsa Fernandes

O Tribunal de Trabalho da Guarda deu esta semana razão a Elsa Fernandes no processo que moveu contra a empresa municipal “Guarda, Cidade do Desporto”, por ter sido despedida, no dia 14 de Dezembro de 2014, sem justa causa. A autarquia tinha avançado com o despedimento daquela funcionária com o argumento de que o seu contrato tinha caducado. Elsa Fernandes viria a recorrer da decisão, alegando ter sido afastada por razões políticas. Agora, o Tribunal de Trabalho decidiu considerar ilegal o despedimento. Condenou, por isso, a empresa municipal a reintegrar Elsa Fernandes no seu posto de trabalho e a pagar-lhe as retribuições desde a data do despedimento até à sentença transitar em julgado.
Elsa Fernandes tinha sido contratada pela empresa em meados de Dezembro de 2008, tendo, entre 6 de Novembro de 2009 e 19 de Outubro de 2013, desempenhado funções de vereadora do PS em regime de permanência na Câmara da Guarda. Na altura em que foi despedida desempenhava funções como técnica de marketing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close