Vereadores socialistas de Gouveia queixam-se ao MP por presidente ter excluído propostas

SONY DSC

Os vereadores do PS na Câmara Municipal de Gouveia apresentaram uma queixa no Ministério Público (MP) por, na última reunião do executivo, o presidente Luís Tadeu (PSD) não ter incluído as suas propostas na ordem de trabalhos.

O executivo municipal de Gouveia, liderado pelo social-democrata Luís Tadeu, é constituído por cinco eleitos do PSD e dois do PS (João Paulo Agra e Maria Conceição Salvador).

Os dois eleitos socialistas referem, em comunicado, que, na Sexta-feira, fizeram uma participação ao MP, «pelo facto de o senhor presidente da Câmara não ter incluído na ordem de trabalhos da reunião do dia 15/06 as propostas apresentadas por estes, dentro dos prazos legais, bem como pelo facto de a ordem de trabalhos e a respectiva documentação não terem sido recebidas, uma vez mais, com a antecedência prevista na Lei 75/2013 e no Regimento da Câmara Municipal de Gouveia».

Os socialistas consideram que, com a decisão, o presidente da autarquia «demonstrou desrespeito pela lei, falta de cultura democrática e falta de consideração por quem, tal como ele, foi eleito pelos Gouveenses, não permitindo que fossem debatidas» quatro propostas enviadas pelos vereadores do PS.

Em declarações à agência Lusa, o autarca Luís Tadeu explicou que a atitude dos eleitos da oposição é «uma falácia», alegando que o direito dos vereadores do PS na apresentação de propostas é respeitado e que a documentação para a última reunião foi enviada no dia 9.

Quanto às propostas do PS, explicou que quando as mesmas foram entregues estava ausente de Gouveia e remeteu duas delas para os técnicos, para análise, o que significa que «os assuntos poderão vir a ser agendados» para uma próxima reunião.

Os outros dois temas que o PS pretendia agendar foram rejeitados, alegando que a sua análise «era despicienda, face a um assunto tratado na reunião de Câmara», e a outro relacionado com medidas que a autarquia está a aplicar, desde o início da pandemia da Covid-19, com apoios às instituições sociais e aos empresários.

Luís Tadeu disse ainda que os vereadores da oposição “podem apresentar as propostas que entenderem”, mas “não são eles que elaboram a ordem de trabalhos dos assuntos que vão à reunião de Câmara”, sendo essa uma tarefa que compete ao presidente.

“Estão a vitimizar-se não sei de quê, quando sabem que ainda há pouco tempo discutimos uma proposta que eles apresentaram”, afirmou.

O autarca referiu que os vereadores socialistas “também têm que respeitar o direito que cabe ao presidente da Câmara, enquanto pessoa que elabora a ordem de trabalhos” das sessões camarárias.

Os eleitos socialistas de Gouveia lembram no comunicado que o Direito de Oposição está consagrado na Constituição da República Portuguesa e que o seu Estatuto encontra-se regulamentado nas Leis 24/98 e 75/2013.

“Quem ganha eleições, não se torna dono de coisa alguma, apenas ganha a responsabilidade de defender os interesses de Gouveia e de respeitar todos os gouveenses, incluindo os eleitos pelos partidos da oposição”, concluem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close