Vida regressa a aldeias sem nascimentos há cinco anos

A falta de crianças é um problema que afecta todo o Interior. O cenário é preocupante e nem mesmo os recentes nascimentos auguram um futuro próspero. Os autarcas continuam sem grandes esperanças de inverter a carência de natalidade. Castelo Bom é apenas uma das freguesias do concelho de Almeida onde não nasce ninguém nos últimos anos. Na União de Freguesias de Castelo Mendo, Ade, Monteperobolso e Mesquitela e no Freixo há cinco anos que isso acontece.

Uma população envelhecida, com «muito poucos» jovens, não permite grandes veleidades que a situação se possa inverter, mas a intenção de um casal de brasileiros, pais de dois gémeos de 4 anos, em mudar-se para Castelo Mendo traz algum conforto a Amílcar de Almeida, presidente da União de Freguesias, com 205 habitantes, de acordo com os dados preliminares dos Censos 2021, já que existe uma forte possibilidade de aumentarem a família.

Não é por falta de jovens que no Freixo não há descendentes há cinco anos. «Somos do Além-Côa talvez a aldeia com mais jovens até aos 24 anos», constata o secretário da Junta de Freguesia, Paulo Pereira. Dos 168 habitantes, «23, 24» residentes permanentes está na faixa etária dos 16 aos 24 anos. O número sobe para «36» aos fins-de-semana e feriados. Dados que permitem ter esperança de que o cenário se irá alterar num futuro próximo.

Mais detalhes na edição desta semana do Jornal terras da Beira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close